NOVO: 2º Índice Caliber da Marca Empregadora

Tempo de leitura: 4 minutos

Desvendando o potencial da segmentação de stakeholders: o caminho para o sucesso​

Quem são seus públicos estratégicos e o quanto você realmente os conhece? Para comunicadores corporativos e tomadores de decisão, nem sempre as respostas são visíveis.

A solução? Realizar uma correta segmentação dos seus públicos de interesse.

O que é?

A segmentação de stakeholders envolve compreender e dividir seu público relevante em segmentos, considerando suas características distintas, e aplicar esses filtros para obter sentimentos e percepções mais específicos.

Saiba como e por que selecionar seus públicos a partir dos recursos de análise oferecidos pela nossa Plataforma Digital Real-Time Tracker.

Demografia Padrão

Este é um desafio bastante comum no universo de monitoramento. Os segmentos padrão da nossa plataforma incluem:

1- País: revela nuances culturais, dinâmicas de mercado e diferenças regulatórias que podem impactar significativamente suas estratégias.

2- Região: ajuda a identificar – e enfrentar – desafios e oportunidades locais, garantindo uma abordagem mais direcionada.

3- Faixa Etária: permite criar mensagens, produtos e serviços de acordo com as necessidades e preferências específicas de diferentes gerações.

4- Gênero: auxilia na adaptação da comunicação de maneiras que ressoem com diferentes gêneros e promovam a diversidade e a inclusão.

5- Nível educacional: ajuda a identificar potenciais funcionários e grupos de talentos que exigem métodos distintos de comunicação e envolvimento.

6- Áreas de estudo: abre oportunidades para adaptar estratégias de conteúdo e engajamento para talentos.

7- Faixa de Renda: permite personalizar suas mensagens e criar produtos e serviços que atendam a diferentes segmentos econômicos.

Segmentação psicográfica e sociográfica

Permite que as empresas filtrem seus públicos não apenas em segmentos de clientes padrão, mas também em segmentos de marketing personalizados e identifiquem audiências influentes. Esses segmentos incluem:

8- Atitudes sociais: compreender como as partes interessadas se posicionam sobre temas polêmicos ajuda a comunicar melhor.

9- Estilo de vida: filtrar de acordo com o hobby, meio de transporte preferido ou outros padrões comportamentais pode fornecer um retrato mais detalhado de quem são eles e o que pensam.

10- Pontos de contato: saber onde e como seus públicos estratégicos ouvem falar de você – de plataformas sociais a mídias tradicionais e sites especializados – permite direcioná-los de forma mais eficaz.

Segmentação profissional e ocupacional

Permite filtrar não apenas em segmentos padrão – como tomadores de decisão de negócios ou profissionais em determinadas funções (por exemplo, marketing ou finanças) – mas também em segmentos personalizados, como compradores relevantes, parceiros, fornecedores, buscadores de emprego e líderes de opinião.

11- Indústria e segmento de atuação: permite avaliar o que os stakeholders em seu campo de atuação e segmento (B2B ou B2C, por exemplo) pensam – e garante que sua comunicação esteja alinhada com as demandas de cada setor.

12- Cargo/ perfil: filtrar em segmentos personalizados como líderes de opinião – ou seja, jornalistas, investidores, acadêmicos, legisladores, governo e ONGs – significa que sua equipe de comunicação pode entendê-los melhor.

13- Tamanho da empresa: em contextos B2B, o tamanho da empresa muitas vezes dita a escala de solução necessária. A segmentação de acordo com esse fator garante alinhamento com as necessidades do negócio.

Por que a profundidade é importante na segmentação de stakeholders

A segmentação demográfica é fundamental. A verdadeira magia acontece quando você se aprofunda em segmentos profissionais e comportamentais.

Considere, por exemplo, segmentar por subgrupos que abrangem essas categorias – como faixas etárias específicas, nível educacional e até mesmo como eles tomaram conhecimento de sua organização e tornaram-se familiarizados o suficiente para responder uma pesquisa sobre você.

As possibilidades são ilimitadas e as percepções inestimáveis. E nós, da Caliber, elevamos a segmentação de stakeholders a um novo patamar, oferecendo total personalização.

Fornecemos as ferramentas para desmembrar os dados em segmentos mais relevantes para os objetivos da sua empresa.

Exemplo: para uma empresa de tecnologia, poderíamos filtrar o público por aqueles que se identificam, digamos, como tomadores de decisão de TI, gamers, consumidores e entusiastas do setor.

Por que a segmentação é transformadora

1- Comunicação direcionada por dados e indicadores: você pode adaptar sua comunicação para atender às necessidades de cada grupo. A segmentação aprofundada fornece as percepções necessárias para decisões estratégicas.

2- Alocação eficiente de recursos: você otimiza esforços e investimentos e reduz gastos financeiros, eliminando a necessidade de conduzir múltiplos estudos com diferentes públicos e que são difíceis de comparar.

3- Melhora o engajamento e satisfação: o envolvimento se torna muito mais significativo se você falar sobre seus interesses, preocupações e aspirações. A segmentação possibilita abordagens personalizadas.

4- Medição, avaliação e mitigação de riscos: permite medir e avaliar o impacto de suas ações com precisão, para que você saiba o que funciona e o que não funciona. Igualmente, permite identificar potenciais riscos para que você possa abordá-los proativamente, protegendo sua reputação.

5- Alinhamento – interno e com seus objetivos organizacionais: facilita o uso de medidas comuns entre departamentos, removendo silos e criando abordagens e análises mais fáceis. Além disso, garante que suas estratégias estejam perfeitamente alinhadas com os objetivos organizacionais.

Por que a abordagem da Caliber é única

O diferencial da Caliber está na capacidade de segmentar dados em diferentes grupos e comparar métricas de marca e reputação de maneira consistente, contínua e lógica.

Nossa plataforma de monitoramento digital Real-Time Tracker também fornece KPIs comparáveis às empresas e permite que elas direcionem suas atividades a grupos específicos de stakeholders – seja de maneira contínua ou para mitigar uma crise repentina.

Conclusão: filtrar os públicos estratégicos em segmentos é o caminho para uma comunicação mais precisa, para a alocação de recursos e a tomada de decisão. Em outras palavras, é uma ferramenta de inteligência que as empresas visionárias não podem se dar ao luxo de ignorar