NOVO: 2º Índice Caliber da Marca Empregadora

Leitura: 4 minutos

¨As tendências futuras na gestão empresarial incluirão uma maior ênfase na liderança orientada por propósito, capitalismo de stakeholders, transformação digital, operações ágeis e resilientes, tomada de decisão baseada em dados e foco em fatores ambientais, sociais e de governança (ESG)¨.

Nesta entrevista, Francisco Carvalho, novo Conselheiro Consultivo da Caliber Brasil, fala sobre comunicação empresarial, liderança baseada em dados, o papel das consultorias na gestão estratégica das empresas e comunicação digital.

Confira:

– No contexto da sua experiência empresarial nacional e internacional, como você avalia a ascensão das consultorias como parceiras estratégicas para as áreas de Comunicação Corporativa das empresas?

¨Os líderes empresariais têm sido cada vez mais desafiados por um mundo complexo, em constante mudança, gerando incertezas e receios na tomada de decisões estratégicas. A área de Comunicação, diante desse cenário turbulento, também tende a valorizar cada vez mais o olhar externo de consultores seniores na gestão da reputação. Ao aportar conhecimento especializado, perspectivas inovadoras e insights baseados em dados, a consultoria ajuda os gestores na análise, medição, avaliação de resultados e aconselhamento em temas estratégicos como cultura interna, governança e transparência, ética e compliance, política socioambiental, engajamento de stakeholders, matriz de riscos, controles internos e gerenciamento de crises. Além disso, as consultorias são importantes para a área de comunicação corporativa porque oferecem acesso a ferramentas e metodologias avançadas, geram eficiência operacional e redução de custos, ampliam o networking dos executivos, compartilham casos de sucesso e benchmarking e ajudam na capacitação e desenvolvimento da equipe.¨

– De acordo com o Relatório Global de Comunicação de 2023 da PRWeek e Cision, 61% dos Diretores de Comunicação Corporativa citam a ¨incapacidade de medir o impacto de forma eficaz” como seu maior desafio. Quais ferramentas podem ser usadas para remediar esta dificuldade?

¨ A comunicação digital tem proporcionado ferramentas cada vez mais eficientes na medição do impacto da comunicação. Plataformas de monitoramento e análise de mídia, análise de sentimento, escuta social, pesquisas e frameworks integrados de avaliação são essenciais para medir o impacto da comunicação. Elas permitem quantificar o alcance, engajamento, sentimento e ressonância da mensagem. Por meio de novas tecnologias mais ágeis de pesquisa, como é o caso da metodologia utilizada pela Caliber, as empresas conseguem mensurar o impacto na percepção da marca, reputação e comportamento dos stakeholders. E, ao vincular métricas de comunicação às metas e resultados de negócios, essas ferramentas fornecem insights acionáveis para otimizar estratégias e demonstrar o valor da comunicação.¨

– O Índice Caliber de Reputação Corporativa, projeto feito em parceria com o Meio & Mensagem, revela trimestralmente as empresas líderes em reputação no país. O que Google, Havaianas e O Boticário, por exemplo, estão fazendo diferente para se manterem sempre no topo?

¨ No meu entender, empresas como Google, Havaianas e O Boticário mantêm reputações de liderança por um conjunto multifacetado de comportamentos positivos. Entre eles, considero que essas empresas se destacam por oferecer consistentemente produtos e serviços de alta qualidade, por se adaptar mais facilmente às mudanças do mercado, por investir em inovação e antecipar tendências. São empresas que cultivam identidades de marca fortes, com foco na experiência do usuário, procurando manter sempre uma comunicação consistente e relevante. Eu diria também que a liderança de reputação dessas empresas também é conquistada pela coragem em assumir causas importantes para a sociedade e pela capacidade de gerenciar crises de forma eficaz, priorizando autenticidade, transparência e conexões emocionais com seus stakeholders

– Em tempos de mudanças sociais, políticas e tecnológicas tão intensas, por que a gestão integrada da reputação e da marca é tão mais vantajosa que uma gestão isolada de dados advindos de imprensa e redes sociais?

¨ A gestão integrada oferece uma visão holística da percepção de uma empresa em todos os pontos de contato. Ela permite a identificação proativa de oportunidades e riscos, a elaboração de mensagens consistentes, uma análise de dados mais rica e alinhamentos estratégicos direcionadas para influenciar as percepções dos stakeholders. Ao considerar, de forma integrada, levantamentos de percepção junto às partes interessadas, dados de imprensa, redes sociais, além de outras fontes, as empresas podem tomar decisões mais embasadas e alinhar suas ações com as expectativas dos públicos de interesse, construindo uma reputação sólida e duradoura.¨

– Quais são os principais riscos de se negligenciar a gestão integrada da reputação e marca?

¨Negligenciar a gestão integrada de reputação e marca pode acarretar uma série de riscos significativos para uma empresa, tais como, falha em identificar e abordar riscos de reputação prontamente, mensagens inconsistentes, oportunidades perdidas de construir brand equity e resposta ineficiente em situações de crise. Isso pode resultar em uma desconexão entre como uma empresa deseja ser percebida e como ela é realmente percebida pelas partes interessadas. Uma reputação danificada pode ter impactos negativos de longo prazo nos negócios.¨

– Falando de futuro, quais tendências a nível de gestão empresarial ganharão destaque nos próximos anos?

¨Na minha opinião, as tendências futuras na gestão empresarial incluirão uma maior ênfase na liderança orientada por propósito, capitalismo de stakeholders, transformação digital, operações ágeis e resilientes, tomada de decisão baseada em dados e foco em fatores ambientais, sociais e de governança (ESG). Será crucial para as empresas priorizar inovação, adaptabilidade, construção de confiança e alinhamento com valores e expectativas da sociedade. A comunicação empresarial terá cada vez mais um papel central em moldar narrativas, engajar públicos estratégicos e demonstrar o impacto positivo nos negócios e na sociedade.¨

Sobre Francisco Carvalho

Francisco possui mais de 35 anos de experiência como executivo em empresas multinacionais e agências de publicidade e relações públicas. Liderou a Burson-Marsteller (hoje BCW) por 14 anos, sendo 12 anos como CEO para o Brasil e dois anos como CEO regional para a América Latina. Formado em Jornalismo, é certificado em Compliance Anticorrupção pela LEC e Governança e Preparação para Conselheiros pela Fundação Dom Cabral.